Publicado estudo sobre João Paulo II e o fim do comunismo na Polonia

Papa JPII.“João Paulo II e o fim do comunismo. A transição na Polônia de 1978 a 1989”. Este é o volume editado pela ‘Guerini e associados’, vencedor da 14ª edição do prêmio Desiderio Pirovano, promovido pelo instituto Luigi Sturzo, de Roma, para valorizar os estudos da história da Igreja e do Cristianismo. O autor, Massimiliano Signifredi, entre testemunhos e fontes inéditas, traçou o impacto de Karol Wojtyla no nascimento, em Varsóvia, do primeiro governo não comunista na Europa.

Massimiliano destaca que João Paulo II acreditou com grande convicção pessoal que a transição para a democracia era possível sem derramamento de sangue, com o diálogo. O agora santo polonês se contrapôs, com a força da oração, a um sistema que não dava a mínima importância para a religião.

Para a preparação desse volume de estudos, foram consultados vários arquivos na Polônia. O autor explica que, além da pesquisa bibliográfica, ele ouviu algumas testemunhas e colaboradores de João Paulo II, bem como seus adversários, a começar pelo general Jaruzelski, que introduziu a lei marcial na Polônia. Massimiliano também ouviu expoentes do governo comunista polonês que, depois de muitos anos, não negam o papel insubstituível deste Papa para uma mudança pacífica.

“Efetivamente, a conclusão pacífica da transição polonesa, iniciada, a meu ver, com a eleição de João Paulo II em outubro de 1978, e concluída em 1989 com o fim do comunismo na Polônia, demonstrou que Jaruzelski e os comunistas poloneses haviam encontrado um modo de dialogar: tinham descoberto o método do diálogo”.

Por Canção Nova, com Rádio Vaticano


Compartilhe com os seus amigos:




Comentários via Facebook: